Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Matemática’

A parte entre parênteses no título é também uma forma de se chegar neste blogue via Google (easter eggs para os que prestam atenção, mas para aqueles que não prestam, confiram mais aqui).

como ter um sono pesado – Ah, seu eu soubesse! Mas eu compenso a leveza com uma habilidade sobrenatural de cair no sono em seguida.

bafometro meia hora antes de beber vomito – ??¿? E é logo a primeira ocorrência no Google!

5 coisas que são solidas – A pessoa não tem imaginação para pensar em cinco coisas sólidas mas tem a idéia de procurar uma lista na Internet?

como ser cientista louco – Estudando muito e sendo muito doido. Ou, assistindo a “quem somos nós” e lendo “o segredo” todos os dias. Mas não sei se louco de raiva qualifica…

historia algo diferente que ninguem saiba – …para eu conseguir escrever aquela redação para o colégio.

frases que comparam mulher com cheiro – Mulher é como cheiro; entra pelo nariz e… Não, não consigo.

dieta que permite a cura da cura da gordura – Comer?

filtros de agua supremo – Os rins.

como esculhambar a matematica – hehehehheheehhehehehheheheheehe

pode tomar quitosana que tem cirrose – Isso foi um conselho ou um aviso?

Mortal kombat continua aparecendo todos os dias, bem como o homem árvore e cometa halley. Alguma relação?

Read Full Post »

Já estava com o email escrito e pronto para clicar em enviar quando lembrei que tenho um blogue precisamente para evitar esse tipo de spam.

Segue o texto:

“Estamos apenas buscando fazer a matemática mais acessível para alunos ao desenfatizar os elementos que muitos deles acham confusos. Não faz sentido tentar treinar nossos alunos a pensar logicamente e então apresentar conceitos sem sentido como números ‘irracionais’ ou ‘imaginários’.”

Antes da revelação, pensem quem teria dito isso e em que circunstâncias.

Clique aqui para ler o resto

Read Full Post »

Hoje eu acordei com vontade de roubar re-publicar algo dos outros (novamente).
Visitando o blogue “nutricional” da Francine Lima, achei uma entrada ótima!

Light uma ova?

Começa com uma carta de uma consumidora esperta sobre a diferença calórica entre achocolatados, um tradicional e outro light.

Toda tabela nutricional traz o teor de nutrientes e calorias em uma determinada porção. Numa bebida, pode ser de 200 ml. No caso do achololatado versão Original, a porção de referência é de 20 gramas, ou duas colheres de sopa. Para uma comparação honesta, dois produtos semelhantes devem usar tabelas nutricionais que se baseiem numa mesma porção. Mas a Pepsico, grupo multinacional ao qual pertence a marca Toddy, preferiu fazer diferente. Colocou no rótulo do Toddy Light uma tabela baseada na porção de 10 gramas, a metade da usada na versão original. O consumidor desavisado (não é o caso da leitora em questão) vê lá: 37 calorias no Light contra 80 calorias no Original. E pensa: ‘nossa, o Light é muuuuito menos calórico!’ Mas pense assim: se o cidadão colocar uma só colher de Toddy Original no seu leite, em vez de duas, terá 10 gramas de achocolatado e 40 calorias adicionadas ao do leite. Se colocar a mesmíssima quantidade de Toddy Light no mesmíssimo leite, terá 37 calorias. Só três calorias a menos. Três! Ou seja, os dois produtos são praticamente iguais em termos de teor calórico!

Depois a empresa tenta se justificar usando matemágica:

De acordo com a Portaria 27/ 1998, para considerar um produto como “com reduzido valor energético”, 100ml do produto pronto para o consumo deve apresentar diferença maior que 20 kcal/100ml e redução mínima de 25% do valor energético total. Se o valor energético de 200ml de Toddy Tradicional preparado com leite desnatado é 148 kcal, em 100ml temos 74 kcal. No Toddy Light, o valor energético de um copo de 200ml de leite com o achocolatado é de 106 kcal, então em 100ml é 53kcal. Assim, temos:

Redução calórica em valor: 21 kcal/100ml (74kcal – 53kcal)
Redução calórica em porcentagem: 28 % [100 – (53*100 ÷ 74)]

Visitem o blogue da menina, não só por recomendação minha (muito bom, eu recomendo! =¦¤þ), mas também porque é realmente interessante o ponto de vista dela (e a pontuação e a gramática e a concordância).

Read Full Post »

Vou começar a colocar links pras coisas antigas e mais interessantes (quem escolhe se é interessante ou não sou eu, mas quase tudo aqui foi escrito por mim de todo jeito), para ninguém ter que ir lendo um por um (apesar de eu achar que devem).

Este é um dos mais antigos e nem é sobre ciência, mas eu quero que todo mundo do mundo leia a estória. E depois leiam isto. É sobre um ladrãozinho metido a besta que ronda por aqui.

A cura rápida e certeira para suas ressacas (eu não vendo nada por aqui, mas ao vivo podemos conversar).

Escreva (e depois apague). Tudo sobre lápis(s)

A matemática é nossa amiga (ou, como a falta de preparo para uma entrevista pode render uma boa malhada). Terremotos e escalas.

Uma homenagem aos nossos irmãos de cor (ou um poema apaixonado, fica a seu critério).

Fotos ótimas (sensações melhores ainda). 18 anos de Telescópio Espacial Hubble.

Placebo (não a banda). Por que são usados?

Entenda como os cachorros vêem (e porque podemos dizer isso com certeza). A visão canina explicada.

O céu é azul (mas só às vezes).

Veja agora como perder peso e se manter saudável! (novamente, não vendo nada por aqui…). A dieta certa para você.

Para os que ainda não sabem, cada linha sublinhada dessas aí em cima é clicável, com uma ligação que leva para outra página, com o artigo indicado.

Não desistam de mim.
Até a próxima!
=¦¤þ

Read Full Post »

Estima-se atualmente que existam sete sextilhões de estrelas no universo observável (pode ser, e é provável, que haja mais universo além de até onde podemos ver). Isso é um 7 seguido de vinte e um zeros (ou 1 bilhão vezes mil, quatro vezes), e parece com isso:

7.000.000.000.000.000.000.000

Se você coletar cada grão de areia de cada praia do planeta Terra, o que deve chegar mais ou menos na casa dos quintilhões (essa conta é feita assim: pega-se um centímetro cúbico de areia e conta-se o número de grãos, depois multiplica-se o resultado pela quantidade de centímetros cúbicos de areia nas praias do mundo. A Matemática é simples assim), ainda não terá grãos suficientes para montar um modelo estelar do Universo visível.

Apesar dessa grandiosidade estelar ser, certamente, mentalmente incompreesível (como este blogue às vezes se torna), e, enquanto a ponderação da escala do universo possa criar uma perspectiva intimidante no dia-a-dia do terráqueo mediano, VOCÊ não é um terráqueo médio.

Sim, nossa Terra pode ser comparável a um trisquinho de poeira num grão de areia na borda do oceano do Espaço, mas em todo o Universo existe apenas um Você.
Múltiplas magnitudes de galáxias podem ir e vir mas, de todo jeito, só pode haver um Você.
O que faz de Você uma raríssima propriedade de Universo, de fato!

Portanto, pegue sua cadeira de praia e, juntos, vamos nos bronzear à luz da nossa mutuamente incompreensível uniqüidade.

-Texto de Justin Jackson com intromissões de Igor Santos-

Read Full Post »

Tremei!

Houve um terremoto em São Paulo de 5,2 graus na escala Richter.
Mas o que isso significa?
Rapidamente, Charles Richter foi um sismólogo (que estuda tremores de terra) que em 1935 desenvolveu uma escala para medir terremotos (já existem escalas melhores, como a Escala Sismológica de Magnitude de Momento, a Escala Modificada de Intensidade de Mercalii, a Escala de Intensidade Sísmica da Agência Meteorológica Japonesa, mas “Ritcher” é mais legal de falar), onde o ponto zero era o menor tremor que os equipamentos dele conseguiam medir (equipamentos mais sensíveis hoje em dia possibilitam resultados negativos na escala) e a intensidade era medida numa escala logarítmica (um terremoto nível 5 é dez vezes mais forte que um nível 4, que é dez vezes mais forte que um nível 3 e assim por diante).
O número em si só é importante para físicos de sismos e para pessoas que tenham acesso a uma tabela como esta:

sismos

Meu professor de matemática do 2º ano tentou enfiar na minha cabeça dura o que era logaritmo, dizendo que servia para medir terremotos. Uau.
Talvez se ele tivesse dito que é útil também para medir intensidade sonora (decibéis), eu teria prestado mais atenção e não teria demorado tantos anos e duas faculdades para entender.
O nome dele é Severo e ele tem a língua presa.

O Brasil não treme mais porque fica mesmo no meio duma placa tectônica (os pedações de terra que formam os continentes e os leitos dos oceanos) e as extremidades, que ficam se roçando (a terra treme por causa dessa fricção entre placas), são os locais onde os chacoalhos são mais intensos.

MAS

Esse sismo foi a evidência  que destruiu a teoria de que o Brasil não se mexe(a mais recente, pelo menos, mas será logo esquecida como o abalo do Mato Grosso em 1955).
Quem mora em Natal, e tem mais de vinte e cinco anos, sabe que o chão vibra vez por outra. Quem mora em João Câmara então, tem certeza!
O atrito que causa os tremores também pode surgir em fissuras dentro das placas, e existe uma rachadura dessas bem abaixo dos meus pés. Mais ou menos. Mais perto dos meus pés que a Tasmânia, pelo menos.
Fizeram até um mapinha mostrando as áreas mais suscetíveis (quanto mais vermelho, mais provável).
Nosso problema real é a falta de equipamentos sismológicos. É como um cego dizer que não existe luz. Ou um usuário de Mac dizer que não tem vírus em seu computador (o que não existe é antivírus para Macintosh).

A ausência de provas não é a prova de ausência.

Para encerrar o artigo de hoje, uma frase do geólogo Joaquim Mendes, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, dita durante entrevista com a revista Época: “Se houver um prédio perto do epicentro, as conseqüências podem ser imprevisíveis”.
Ou, mais explicitamente: se por algum acaso ou de alguma forma existir uma edificação a uma certa distância não muito bem estabelecida do local arbitrariamente definido como sendo o centro do movimento, existe a possibilidade, não muito grande nem muito forte, de o resultado final do acontecimento ser algo completamente aleatório, vago e inesperado.

Read Full Post »

1.000.000.000

1 bilhão é um número tão grande que nosso cérebro mamífero tem sérias dificuldades em compreender, o que dificulta o entendimento de Química (constante de Avogrado), Física (número de planetas e galáxias), História (Eras geológicas) e Biologia (Evolução).
Dizer que 55 gramas de ferro contém 600 vezes um milhão bilhão bilhão de átomos de ferro, ou que cada galáxia contém um bilhão bilhão de planetas e o universo é formado por um número ainda maior de galáxias, que a Terra foi formada há 4 bilhões de anos ou que nós levamos 3 bilhões e meio de anos para evoluir de átomos aleatórios de hidrogênio e carbono para serem pensantes e verificadores de e-mails, não nos diz nada, porque não temos capacidade intelectual de entender números dessa magnitude. Nós somos bons em entender dez de alguma coisa, mas não milhões e milhões. O que nos resta é criar analogias e tentar explicar para nós mesmos o que essas coisas significam.
Por exemplo:
Se você levar cinco minutos para contar até mil, mantendo o mesmo ritmo, em 1 hora você chegará a 12 mil e a 288 mil ao fim de 24 horas.
Em um ano, mantendo o mesmo passo, sem parar, você terá chegado a 105 milhões. 365 dias, sem descanso, para alcançar pouco mais de dez por cento de um bilhão.
O 1 bilhão só será alcançado ao final de NOVE ANOS E MEIO de contagem incessante, ao ritmo de dez números a cada três segundos. Se o ritmo for um número por segundo, você contaria por mais de 31 anos.
1 bilhão de minutos atrás, na década de 100 da era cristã, o matemático grego Ptolomeu nascia, o carrinho de mão tinha acabado de ser inventado na China, os leões foram extintos nos Bálcãs, o Kama Sutra tinha começado a ser escrito na Índia, tijolos começaram a ser usados como material de construção no Império Romano e, novamente na China, o papel fez sua primeira aparição popular.
1 bilhão de horas atrás, agricultura não existia e não havia animais domesticados, a Austrália ainda não era habitada, nós estávamos quebrando pedras para cortar a carne de animais e curtir pele para nos aquecermos, morávamos todos na África e ainda éramos homo erectus e não homo sapiens e a linguagem e a música estavam começando a se desenvolver.
Uma faixa de areia de 10 metros de extensão por 1 metro de largura e 10 centímetros de profundidade contém aproximadamente oitocentos milhões de grãos de areia. 80% de um bilhão.
É impossível ver 1 bilhão de pessoas de uma só vez, por causa curvatura da Terra. É tanta gente que por mais plano que o terreno fosse, as pessoas se estenderiam até passar do horizonte. A única maneira de fazer 1 bilhão de pessoas caber em seu campo de visão seria ascender algumas centenas de quilômetros acima da superfície terrestre, de onde tal população seria enxergada como uma massa, sendo impossível distinguir indivíduos, de forma análoga a como vemos nossa pele, que é formada por bilhões de células individuais. A propósito, 1 bilhão de células de pele é equivalente a 350cm², ou a pele do torso de um humano adulto.
1 bilhão é muita coisa, só digo isso.

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: