Feeds:
Posts
Comentários

Archive for fevereiro \22\UTC 2013

MALA

Read Full Post »

Novidades

Nenhuma, na verdade. O blog anda vazio porque estou “focado em outros projetos”, o que é 100% mentira.
Bom, talvez mais perto de 75%. Especialmente se eu considerar “preguiça de blogar sem foco” como foco em algo.

Vou pelo menos contar uma anedota para movimentar o blog.
Ah, tenho uma novidade sim. Descobri que o Twitter finalmente descobriu uma forma de disponibilizar todo o histórico dos usuários e, lendo coisas que tuitei quatro anos atrás, preciso dizer que mudei muito pouco.
Por exemplo, meu décimo primeiro tuíte foi: “Mil livros para ler, pouco tempo para lê-los, estou prestes a comprar mais mil. Não resisto.” Isso aí certamente não mudou (minha coleção de Asimov que o diga).

E, em oito de abril de 2009, me saiu um “A nostalgia de antigamente era melhor que a de hoje em dia…”, o que permanece válido. Tanto mais a cada dia que passa.

Descobri também, de forma acidental, que quem toca bateria nesta música sou eu.

Outra coisa que notei recentemente (antes mesmo de saber dessa ferramenta do Twitter): tem texto meu de 2009 que, na minha cabeça, é mais recente que alguns tuítes da semana passada. “Distemporalidade” é uma palavra? Tipo “dismorfia” mas sobre o tempo. Se for, acho que tenho.
Se bem que se não for eu devo ter também, só que com outro nome. Pois não é só porque você não sabe o que significa schadenfreude que você não sinta prazer no infortúnio alheio.

Tem uns textos bons e recentes no 42., no entanto.
E o Dispersando voltou também. É, talvez este possa ser considerado “outro projeto”.

Preciso ainda colocar aqui inúmeras fotos interessantes que bati nos últimos meses e fazer uma compilação vídeo-fotográfica do meu histórico clínico. Mas já adianto: fui raspado e depilado em lugares diversos. Está tudo devidamente documentado, não há necessidade para preocupações.

E um político daqui espalhou propagandas pela cidade (outdoors mil) com uma foto “sem pose” dizendo que ele é o melhor deputado do Brasil. Felipe é seu nome, Maia é o sobrenome dele e da mais antiga família coronelista do estado. Seu pai é José Agripino, presidente nacional do DEM (nome cretino para um partido), senador há quatro mandatos, governador do Rio Grande do Norte duas vezes, prefeito militar uma e dono da retransmissora da Record no estado.
Felipe Maia, deputado mais vaidoso do Brasil.
Se eu conseguir bater uma foto sem bater o carro no processo, publico aqui também.


ATUALIZAÇÃO
Consegui:
felipe maia
E, pior ainda, foi a Veja que “comprovou”. Nem tinha notado.

Em notícias relacionadas, assista ao vídeo “Culto de Personalidade”, mostrado abaixo.

Acho que preciso tuitar menos e expandir melhor minhas ideias para aproveitá-las em formato comprido aqui. Mas isso eu sempre achei, nem por isso deixei de tuitar.
Acabei que nem contei a anedota. Mas é bom que eu fico com pretexto para voltar.

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: